Posts Marcados Com: gentileza

Hoje é o Dia Mundial da Boa Ação! Já fez a sua?

Vocês conhecem A Corrente do Bem?

Corrente do Bem é um movimento com a proposta de conscientizar as pessoas de que boas ações se fazem no dia a dia. Pode ser no quintal de casa, entre amigos, para desconhecidos que cruzam o seu caminho, no trabalho, na escola, na hora do almoço e até pela internet; é só fazer

A proposta é inspirada no filme e no livro de mesmo nome, no qual o protagonista ensina que se você fizer boas ações para três pessoas e essas replicarem para outras três, é possível gerar um grande impacto de acordo com uma escala matemática básica.

E hoje é o Dia Mundial da Boa Ação! 

Dia de celebrarmos a generosidade, a gentileza, o amor, a compaixão, a proatividade e tudo mais que vier no “pacote do bem”! O que faz a diferença no mundo são as suas ações, então por que não praticar o que de melhor está ao seu alcance?

E para celebrar este dia, a corrente está nas ruas, não só no Brasil, mas também em outros 47 países, mostrando que boas ações são simples, rápidas, divertidas e têm um enorme potencial de transformar a sociedade. Uma equipe voluntária composta por empresas e profissionais se formou em torno do Dia Mundial da Boa Ação. São pessoas que estão doando tempo e expertise em prol da proposta de disseminar uma prática simples e transformadora – mobilizar cidadãos a incluir ações de gentileza e generosidade no cotidiano.

Faça a sua parte, faça a sua boa ação de hoje e lembre-se de fazê-la nós próximos dias também!

Você pode saber mais sobre as ações da Corrente do Bem clicando aqui.

Beijos e até a próxima!

Anúncios
Categorias: Crônicas na Mesa | Tags: , , , , , , , | Deixe um comentário

Sexo Frágil (????)

Hoje, 8 de Março, é Dia das Mulheres.

Vim aqui fazer uma singela homenagem ao sexo frágil que de frágil mesmo não tem mais nada.

Porque chorar, meu amigo, chorar quando o mundo está ruindo é pra quem é muito corajoso de deixar vir emoções. Não há nada de frágil nisso, tampouco em deixar-se ser emotiva. Apaixonar-se, dar a cara pra bater. Dói, viu?! Acreditar em amiga, ser companheira e depois decepcionar-se. Sim, faz parte. Mas a diferença é que na maioria das vezes (não estou generalizando. Note: na maioria) os homens dão-se menos, se dispõem menos ao que sentem. Nós mulheres, nos expomos e somos mais vulneráveis. Talvez daí venha a concepção errônea de fragilidade.

Lindo ser mulher. Ter naturalmente sexto sentido e  intuição aflorada. Alguns nos chamam de bruxas, mas acho que na verdade somos fadas. Sonhamos, fazemos quem amamos voar, transformamos a bagunça em ordem e com um sorriso e um abraço genuínos aplacamos a dor.

Podemos gerar vidas. Graças a Deus fomos escolhidas para concebermos milagres. Sermos a ligação da matéria e espírito e donas, a partir do dom da maternidade, do maior amor do mundo.

Não sou mãe, mas todas as mães que conheço falam com conhecimento de causa: ‘Não sabíamos o que era amor, até que chegasse meu filho’.

O dia de hoje, de amanhã, a semana que vem e mais alguns milênios tem que ser comemorados por essa grande causa. A de ser e termos a melhores mulheres à nossa volta.

Por isso, nossos SINCEROS parabéns vão às mulheres que:

Deixam seu filhinho cedo na escola e vão embora de coração partido; àquela que é mãe, esposa, professora, contadora, administradora, sua própria manicure (td em uma coisa só pq não dá tempo de nada); às mulheres que de tanto esperarem o príncipe encantado cansaram-se e tem se divertido com os lobos maus; às que se emocionam em casamentos e comédias românticas; ás que quando deprimem matam um prato de brigadeiro de colher ao lado da melhor amiga; àquela que se apaixonou por outra mulher e vence preconceito com amor todos os dias.Às que perderam seu bebê ou não puderam tê-lo; às que veêm uma vitrine e anunciam “ EU PRE-CI-SO”. Às que estão acima do peso,não são estereotipadas,mas que carregam a felicidade que muitas ‘padronizadas’ não têm;

Às que limpam com esmero a casa das outras pessoas, que cuidam dos filhos dos outros mal têm tempo para cuidar dos seus. Às que colhem uva e tem a mão grossa, às que morrem de dor na coluna por ficarem o dia todo encurvadas cuidam de calosidades e cutículas (que não são as suas).

Às que encontraram o homem de suas vidas e são abençoadas diariamente por tê-los. Às que tem a cabeça forrada de cabelo branco e sabedoria. Outras que estão há milhares de quilômetros longe de suas casas acreditando na realização de sonhos semeados; às que se olham no espelho e não fazem ideia da beleza que carregam e adoecem de baixo estima.:Parabéns, ame-se. Você tem dons divinos, minha querida!

Às que não trabalham fora de casa, mas dentro do lar ocupam todo o seu tempo para deixar tudo ordeiro, cuida do bem estar de todos os ausentes. Faz o serviço de casa com o maior carinho, mesmo que muitas vezes sem reconhecimento.

À menina-mulher que se descobriu menstruada e chega à nova fase; Às que se exercitam arduamente para alcançarem seu objetivo no esporte; Às que por alguma deficiência física redobram seu esforço de manterem-se em suas atividades diárias; às que comem 2 bombons na TPM e não saem de casa porque acham que engordou 7 kg;

Às companheiras de maridos, às orientadoras de filhos, às mães que sempre perdoam; às mulheres que enfrentam filas e humilhações para visitar ente querido na penitenciária.

Às motoristas de táxi, caminhão, avião, ônibus que romperam tabus; às mulheres que são independentes e não sabem cozinhar, mas que falam sobre Nitzsche no sarau; às que apanham ainda de homem e são julgadas, mas são açoitadas por medo e amor pelos filhos; às que são julgadas piriguetes, mas ninguém paga a conta financeira nem emocional delas. Às que criam filhos absolutamente sozinhas e contam com Deus pra prover o que comer dia após dia, porque nem sempre a grana dá.

Às que suportam depilação de virilha+perna+tudo o que imaginarem sem chorar; às que em cima do salto dançam a noite toda; às que não dormem pra vigiar o sono do filho ou que esperam filho grande chegar pra abençoar; às que ainda brincam de menina; àquelas que não deixaram de sonhar e ter fé; às que engolem sapo e não pegam a bolsa e vão embora do trabalho mesmo frente ao maior desaforo.

Às que choram ao receber flores; que com um rímel novo acham que já podem dominar o mundo; que quando emagrecem 1kg equivale a ter ganhado o Oscar; às que sobrevivem à traição; às que choram no chuveiro e no travesseiro porque são consideradas fortes demais por todos.Àquela que dirige bem,mas sempre é xingada.

Às que nunca tiveram filhos e adotam os sobrinhos e afilhados; às que cumprem todo dia o papel lindo de ser mulher e estendem a luz que carregam por dom divino.

Parabéns a todas nós!

Beijos e muita luz.

Categorias: Crônicas na Mesa | Tags: , | Deixe um comentário

Gentileza gera gentileza

Numa cartolina branca com um pontinho preto. O que você vê?

O pontinho preto, claro. Mesmo que tenha uma imensidão de cor branca, ali, limpinha e toda cuidada, você vê o ponto preto. Mas não acontece só com você, acontece com todos nós.

Comigo, com o moço gentil da banca, com alguém que te dá passagem no trânsito, com a senhorinha que fala manso sobre receita. Acontece mesmo com nós bons, porque temos a tendência humana de olhar mais os defeitos às qualidades. Reclamamos mais do que elogiamos.

Vou abusar da ficção nos nomes agora:

Maria conhece Joana há 25 anos. Amizade linda, promissora, de toda uma vida. Joana já foi na chuva socorrer a amiga, já emprestou dinheiro que nunca mais foi visto, já lhe fez unha e pé pra economizar a verba curta da amiga, já acompanhou no pior programa porque Maria precisava dela, já deu ombro, já deu colo, já deu bofetada em favor da outra. Joana um belo dia dá aquela pisada de bola. Não, não essa pequenininha que está pensando. Pisadona, mesmo! De acabar com a bola, rasgar fora a fora. Joana cometeu o maior dos erros, aquele que nunca deveria ser cometido.

Maria desconjura Joana, pragueja e lá se vão 25 anos de amizade.

E por que mesmo? Amigo não machuca assim! Não serve mais. Porque amigos não fazem o que ela fez! É, talvez amigos não são tão fiéis por tantos anos e façam tudo que Joana fez, irmãos sim. Mas ambos cometem erros e às vezes, dos feios.

Uma maldade apaga mil bondades. É assim que vivemos. Duros e sem relevância.

Quantos elogios recebeu esse mês? Por um bom trabalho, por algo que dispensou amorosamente de você, por favor feito sem obrigação? E quantas reclamações ouviu?

“Tem que melhorar isso, tem que ser mais firme com aquilo. Tem que acertar! Você não deveria ter feito assim, pode melhorar”.

Reclamações são tão constantes, não é?

Daí tive uma idéia e faz um tempinho… Mas antes quero explicar uma coisa:

Minha Mamadi sempre me ensinou que o que a mão direita faz, a esquerda não precisa saber. Ou seja, o que fazemos de bom, não temos que sair falando e batendo no peito. É entre a gente e Deus. Quem precisa ver está vendo, é assim que funciona e tento exercitar isso.

Mas dessa vez vou falar o que fiz, não como auto glorificação. Quero falar para quem sabe causar um efeito dominó. Eu faço, daí você faz, mais 2 pessoas fazem e daqui a pouco, muita gente vai elogiar mais o outro do q reclamar. Viveremos melhor! Já viu a carinha que alguém fica quando é elogiado ou agradecido? Já viu aquela energia que é emanada? Imagina um montão de gente assim, com disposição pra fazer melhor de novo pra vir mais comentários positivos.

Perto de casa, fizeram várias travessias de pedestres no meio de uma Avenida bem movimentada que facilitou (muito) a vida de todos que moram nas imediações. Além da iluminação e re-pavimentação.

E pensei: Que engenheiro legal que fez isso, não?! E que equipe de Desenvolvimento!

E fui além: Eles precisam saber que valeu à pena todo o trabalho, que mudou a vida de um tantão de gente. Bora elogiar e agradecer.

Passei um email para a CET pedindo para direcionar aos responsáveis porque eles precisam saber disso: que não fizeram mais que a obrigação (como muitos podem dizer) mas que foi notado o trabalho bem feito. Escrevi umas 20 linhas.

Imagino como a pessoa que recebe espontaneamente um comentário assim, desenvolve um trabalho melhor. Como não fica mais lamentando de que “tanta coisa pra nada porque ninguém nota”.

E vai chegar em casa melhor. E vai cumprimentar melhor o outro colega. E ambientes vão melhorar em dosesinhas miúdas. É o efeito dominó.

A gente reclama de atendente de operadora de telefone. Alguém q já resolveu seu problema recebeu um e-mail agradecendo? Já pediu pra falar com o gerente numa loja pra elogiar? Ah, não. Só quando é maltratado “Chama seu gerente A-GO-RA!”.

Já elogiou um cobrador de ônibus por ter lembrado do seu troco? Por um motorista gentil que aproximou o máximo que pôde o ônibus junto à guia em dia de chuva? Que ficou pacientemente te explicando como chegar em determinado lugar? Torço muito para que alguém já tenha feito isso.

Eu só anotei placa pra reclamar demora, motorista que não parou, que abriu em 2 pontos depois e me atrasou.  Eu nunca parei pra pensar nisso direito até sentir como isso faz diferença.

A gente pode mudar esses habitozinhos, sabe? Podemos mudar o dia de alguém por atos que nos tomam não mais que 5 minutos. Eu acredito pra caramba nisso, já tinha falado sobre fazer valer à pena.

E daí q ninguém mais faz? Ah, vamos fazer a gente, ué. Quem tem que ver, vai ver! E o segredo mais legal é:

Quando fazemos isso não é pelo outro, é por nós. A coisa é ao nosso favor. Fazer o bem ao outro é causa estranhamente egoísta, porque a primeira pessoa q ganha com isso é a gente!

Categorias: Crônicas na Mesa | Tags: | 3 Comentários

Blog no WordPress.com.