Pelo mundo

Desejo do dia: Summer Umbrellas

Na verdade, meu maior desejo hoje era uma boa dose de saúde, porque fiquei bem ruinzinha essa semana (por isso só consegui postar praticamente os looks do projeto – e espero que estejam gostando! rsrs). Mas ok, já fui ao médico e acho que agora eu melhoro. Então vamos ao desejo do post: Summer Umbrellas!

Em uma cidadezinha de Portugal chamada Águeda, algumas ruas são decoradas com guarda-chuvas coloridos, parecendo um “céu de guarda-chuvas”. Me encantei quando vi as fotos no Feel Desain e vim mostrar aqui para vocês! Não é lindo?

Via Feel Desain

A decoração das ruas faz parte de um festival local que acontece todos os anos, durante o mês de julho, composto também por shows e vários outros eventos.

Fotos tiradas do iPhone da fotógrafa Patrícia Almeida.

E aí, gostaram? Esse lugar entrou pra minha wishlist!

Beijo grande e até a próxima!

Anúncios
Categorias: Pelo mundo | Tags: , , , , | Deixe um comentário

Dica de viagem: Pouso do Cajaíba – RJ

Eu vi as fotos de Pouso do Cajaíba – RJ há mais ou menos uns 3 anos atrás. Fiquei alucinada com aquela imensidão paradisíaca e me prometi por os pés lá tão logo a oportunidade surgisse. E veio.

Nunca fui adepta a acampamentos. Gosto de lençóis fresquinhos, banho quente, acordar depois das 7 horas da manhã sem o sol me derretendo. Mas, não tive muita escolha e apostei que o lugar valia a quebra de protocolo de conforto em viagem.

Embarquei na trip na quinta à noite (05/04/2012) com uma excursão de ônibus lotado e minhas amigas desacreditando que eu estava lá. Eu, duas malas e meus dois chapéus. Porque posso encarar a pose de roots,mas ainda sou fina! rsrs.

Pegamos um barco em Paraty-Mirim para fazer a travessia até Pouso do Cajaíba, que fica dentro de uma região totalmente preservada pela Reserva Ecológica da Juatinga. Durante 1:40 min de travessia, vi as melhores paisagens e golfinhos na água. Estava chegando mesmo no Paraíso!

Pouso é uma vila de pescadores sem energia elétrica, que toca o dia a dia a base de geradores, velas e gelo. Inenarrável quando desembarcamos. Toda a viagem começou a fazer sentido na hora que coloquei os pés naquela areia grossa banhada pela água mais transparente e calma que já vi.

Os habitantes do lugar são gente de sorriso fácil, receptiva, simples e que confia em quem mal conhece. Imagine que no primeiro dia com uma nota de R$ 50,00 na mão fui pedir uma cerveja num pequeno ‘restaurante’ improvisado e a Regiane (que perguntei o nome na sequência) me disse:

– Não tenho troco. Faça assim, vou anotar seu nome na caderneta, você come e bebe o que quiser e no domingo você ‘me’ acerta.

Esqueci por um momento do que nós, gente do concreto, somos feitos. Não confiamos nem na sombra. A minha amada São Paulo, infelizmente nos enrijeceu um pouco. E lá, lá as pessoas não tinham computador, nem telefone em casa, nem celulares caros e andavam descalças. Mas tinham confiança e abraços pra distribuir.

Me emocionei com menino de 7 ou 10 anos que ajudava os pais na pesca pra nos dar peixe fresquinho. Que jogava âncora no mar pra turista descer. Toda aquela gente linda de pele queimada de sol e cabelo dourado, nos oferecendo sua melhor amizade.

E nesse clima me apaixonei por cada centímetro daquele lugar. Fizemos forró à noite e sem iluminação elétrica nenhuma, a luz da lua deixava tudo que estava abaixo dela claro. Todo céu pintado de estrela. O som era de felicidade, triângulo de forró e água batendo em pedra.

Conheci muita gente que nos acompanhou na excursão que dividiu goró, piada, carinho, amizade e que como eu, deixou todos os problemas aqui em Sampa. Por três dias brincamos de um faz-de-conta eterno e todos retendo o tempo o quanto podia, querendo saber de todo lugar, divertir-se e brindar a boa sorte de estarmos lá.

Uma menininha nativa de 2 anos, durante um passeio que fiz à praia vizinha “Praia Grande de Cajaíba”, me agarrou e num abraço sincero disse: “Você vai não! Você fica aqui, tá?” Eu gargalhei e retribui o abraço o mais forte que pude para lembrar dela quando estivesse aqui.

Estou saudosa, querendo voltar, com gostinho de sonho que é cortado pela metade. Mas valeu muito à pena e deixo a dica mais que registrada. Assim que puderem, vão conhecer esse paraíso! Pouso do Cajaíba é um dos lugares mais lindos que já vi em toda minha vida!

Beijos e muita luz,

Categorias: Pelo mundo | Tags: , | 6 Comentários

Blog no WordPress.com.